quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

MAC acerta no elenco para a sua difícil missão

Reprodução: Facebook Maranhão Atlético Clube
Com praticamente o seu elenco definido para a temporada de 2018, o Bode mostrou que vai em busca de ir longe no estadual. Com um ano difícil, onde o time terá que buscar no mínimo o vice do maranhense, a diretoria atleticana prometeu e foi em busca de um time competitivo. O campeonato maranhense, caso uma competição no segundo semestre não seja confirmada, será a única porta de entrada para o clube nas competições nacionais. Dessa forma, o MAC parece ter abraçado e entendido a causa. 

Além da qualidade técnica de jogadores como Felipe Costa, Eloir, Valber, Curuca e outros, esses atletas conhecem muito bem e tem muita experiência no nosso futebol. Portanto, esse aspecto também é muito importante e deve ser levado em consideração para a missão difícil que o time terá  em 2018. Um dos desafios do técnico Meinha será fazer com que esse time e suas peças possa jogar em alto nível. Em caso de sucesso, o Maranhão será forte no estadual.

Enfim, o time é interessante e desperta muita curiosidade em vê-lo jogando. Agora é aguardar para saber o quanto esse elenco poderá levar o Macão aos seus objetivos. Qualidade e experiência o time tem.


terça-feira, 19 de dezembro de 2017

O maior desafio de Marcinho

Reprodução: Foto retirada da internet
Marcinho ainda tem uma história recente e breve como treinador. Por algumas vezes o técnico assumiu o comando motense. Porém, em todas essa oportunidades Marcinho somente dava continuidade ao trabalho já iniciado por outro treinador até mesmo quando chegou a ser efetivado no cargo. Isso não foi diferente em 2017. Marcinho assumiu também nessas condições e acabou a temporada no comando técnico do Papão. 

Com uma nova realidade para a temporada de 2018, o Moto apostou em Marcinho para, desta vez, iniciar do zero o seu trabalho. Vindo de uma temporada difícil e com poucos recursos o Rubro-Negro viu no ex-jogador uma aposta viável para 2018. O treinador conhece muito bem o clube e o futebol do nosso estado e isso o ajudará em sua jornada. E sem dúvida nenhuma, esse será o maior desafio ou maior teste de Marcinho na sua recente carreira como treinador. A montagem do elenco, a forma como será montada taticamente o time, entre outros pontos tudo passará pela sua mão. Ou seja, agora a responsabilidade do desempenho do time também terá a responsabilidade e muito de Marcinho. 

Além de tudo isso, o desafio fica maior pelo ano decisivo e difícil que o Moto terá. De cara, o Papão disputará o maranhense com a responsabilidade de conquistar vaga nas competições nacionais. O time ainda disputará a série D com ainda o peso da queda ocorrida neste ano. Enfim, o desafio será grande, mas agora de fato saberemos o quanto Marcinho está preparado para a sua missão. Sem dúvida,  o treinador conta com o apoio do seu torcedor a quem o tem como ídolo do clube.


quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Bacabal, Pinheiro e Expressinho é muito bom revê-los

Reprodução: Bacabal divulgação

A bola está rolando nos gramados maranhenses para a segunda divisão estadual. Bacabal, Expressinho, Timon e Pinheiro estão disputando a competição. Há de se destacar que é muito bom ver praças importantes do nosso futebol voltando a disputar uma competição estadual. O Furacão da Cohab, como é chamado o Expressinho, é um dos times tradicionais da nossa capital. Nesta temporada, a equipe tenta voltar a elite do campeonato estadual onde por muito tempo esteve, principalmente na década de 90.

Já o Pinheiro é outra praça importante do nosso estado. A força e sua importância passam ainda pela relevância da própria cidade onde nasceram maranhenses ilustres e que também abriga um grande celeiro de craques. O time busca pela segunda vez consecutiva retornar a elite do campeonato maranhense. No ano passado, em um seletivo disputado junto com a equipe do Americano, o PAC disputou a segundinha, mas ficou pelo meio do caminho. 

E por fim, temos o Bacabal Esporte Clube. O Leão do Mearim também é um dos times tradicionais do nosso estado. Além da sua tradição, o time possui  em sua história o título estadual do ano de 1996 e disputou por duas vezes a série C nacional. 

Enfim, quem acompanha o nosso futebol sabe da importância e tradição dessa equipes. Em meio a grande dificuldade que é fazer futebol no Maranhão, é bom ver essas três equipes desfilando novamente pelos nossos gramados. Agora é aguardar o desenrolar da segundinha maranhense que está dando gosto de acompanhar e fazia tempo que não estava tão valorizada.

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Kobayashi, Marcinho e Francisco Diá os técnicos já confirmados para 2018

Imagem retirada da internet
Sampaio Corrêa, Moto e Imperatriz já confirmaram os seus comandantes para a temporada de 2018. Paulinho Kobayashi e Marcinho Guerreiro terão objetivos e uma temporada parecidas, mas com pesos um pouco diferentes. Imperatriz e Moto disputarão as mesmas competições em 2018. As duas equipe jogarão o estadual e o nacional da série D. Porém, a situação de Marcinho tem um peso maior.

O Moto clube vem de um ano complicado e entrará nas duas competições pressionado por bons resultados. No estadual o time buscará as vagas nas competições nacionais e na série D vai tentar voltar a conquistar o acesso. Um bom desempenho no estadual também pode garantir ao time mais tranquilidade e confiança para a sequência da temporada. Já Paulinho Kobayashi terá o objetivo de tornar o Cavalo de Aço ainda mais forte e competitivo. Dessa forma, o time buscará fazer um bom estadual e fazer bonito também na série D. Porém, a equipe não entrará na temporada de 2018 tão pressionada como o Moto. 

Dentre os três comandantes, Francisco Diá será o técnico que iniciará 2018 um pouco mais confortável. Isso não quer dizer menos pressionado. Com um time que disputará a série B, o Sampaio deve entrar no estadual pressionado a fazer uma grande competição para não passar pelo sufoco que foi nas duas últimas edições do maranhense. Apesar do título em 2017, no primeiro turno do estadual o Tricolor não passou da primeira fase.

O bom de tudo isso é saber que um dos problemas do nosso futebol parece caminhar para um novo rumo. Faltando um pouco mais de dois meses para o início do ano já temos nomes confirmados para a próxima temporada. Em um passado não muito distante, isso era algo que não acontecia. Times eram montados faltando pouco tempo para o início das competições. Muito ainda há de evoluir e melhorar, mas isso já é algo a se comemorar.

terça-feira, 17 de outubro de 2017

O MAC e a difícil temporada de 2018

Foto: Facebook Maranhão Atlético Clube
A princípio, o Bode Gregório terá apenas o estadual para disputar no ano de 2018. Isso pode mudar caso a FMF crie uma competição para o segundo semestre, o que ainda está sendo estudado. Com isso, o campeonato maranhense ganha uma importância muito grande para o Macão. Para voltar as competições nacionais o time terá que levar o estadual ou dependendo da situação um vice-campeonato. Enfim, independente de qualquer coisa, o time terá que fazer um grande campeonato maranhense com a possibilidade de poucos erros. Com um campeonato mais enxuto, menos jogos, a missão se torna ainda mais complicada. 

Times importantes do estadual como Sampaio, Moto e Imperatriz já anunciaram seus comandantes para a temporada de 2018. As equipes também já trabalham na formatação dos seus times. Em relação ao Maranhão ainda pouco se sabe. Peças como Ramon, Naoh, Rodrigo Ramos não devem fazer parte da equipe já que estão atuando em outras equipes. O goleiro deve voltar ao Imperatriz após jogar na Tuna Luso. O próprio comandante do Quadricolor, Ruy Scarpino, irá trabalhar no Sertãozinho de São Paulo.

Portanto, a temporada que se projeta ao Macão não é nada fácil. Após algum tempo, o time voltou a sentir o gosto de disputar uma competição nacional. A equipe ficou muito próxima do acesso a série C. A expectativa agora fica para a formatação da equipe para a próxima temporada.  

terça-feira, 10 de outubro de 2017

A escolha de Célio Sérgio em seguir como presidente do Moto

Foto: Célio Sérgio e Natanael Júnior


Na noite desta terça-feira, o jornalista Célio Sérgio foi aclamado como presidente do Moto Club. Célio tomou a decisão de seguir acreditando por tempos melhores no Rubro-Negro. Com um ano difícil e ainda com pendências, o presidente do Papão decidiu por manter-se à frente do time. Dizendo acreditar que está mais maduro e sabendo no que pode acreditar, Célio terá agora o apoio do também jornalista Natanael Júnior que será seu vice-presidente. 

Não se pode ignorar as falhas cometidas por Célio na temporada de 2017, mas nesse momento a de se destacar a sua coragem em seguir no cargo. Muito criticado e com uma temporada totalmente diferente de 2016 o jornalista optou por seguir lutando pelo clube. O caminho mais fácil e confortável seria deixar o clube em meio a toda essa rejeição. Porém, quem ficaria em seu lugar? O Moto mais uma vez pararia sua atividades? Pesa também, em sua decisão, a própria falta de opções para assumir o cargo. A chapa do atual presidente foi a única inscrita no pleito.

Em entrevista a rádio Difusora Am, na manhã desta terça-feira, Célio Sérgio deixa bem claro essa falta de opção: "...eu não vou mais ser presidente do Moto. E aí? O que acontece com o Moto?.." 

Sabe-se que será difícil. Com menos verba e vindo de uma temporada difícil ficará mais complicado a temporada do ano que vem. Porém, os erros cometidos no passado podem não se repetir. Com a experiência adquirida é que Célio Sérgio deve iniciar sua nova caminhada. Sem dúvida, algo deve ser mudado para essa nova gestão. Enfim, agora é aguardar por tempos melhores para as bandas do Rubro-Negro

Ouça a entrevista concedida por Célio Sérgio ao programa Na Cara do Gol da Difusora Am:


segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Sampaio Corrêa 2017: a desconfiança do começo do ano ao acesso

Reprodução: Site Sampaio Corrêa. Foto: Elias Auê

Após a queda para a série C na temporada de 2016, criou-se uma expectativa grande para a retomada do time na temporada de 2017. O time foi apresentado com certa antecedência com muitas caras novas e a valorização de peças caseiras (jogadores maranhenses). Sob o comando de Vinícius Saldanha, o time iniciou com muita desconfiança do seu torcedor. O próprio treinador já começou o trabalho muito pressionado. A queda para a série C, jogadores pouco conhecidos e a pressa pelos resultados foram alguns dos pontos que pesaram para essa pressão. Sem os resultados e a ausência do time na fase final do primeiro turno do estadual acabaram por minar o trabalho de Vinícius Saldanha. 

Com a chegada de Francisco Diá, o cenário não muda muito no início do seu trabalho. O time demora para engrenar e o torcedor permanece desconfiado e segue questionando o trabalho desenvolvido. A partir das trocas de peças, decisões da sua comissão técnica e o foco dos jogadores que chegaram é que o cenário começa a mudar. O resultado, a conquista do estadual 2017.

Na série C o time vai caminhando bem, mas tem o seu melhor momento no segundo turno da competição. O time ganha corpo, consistência, identidade e fica praticamente imbatível dentro na série C. O resultado? todos já sabem. 

Enfim, o Tricolor passou por mudanças significativas e foi da desconfiança a volta para a série B. O time conseguiu, além de tudo, voltar a ter a confiança e o apoio do seu torcedor que estava um pouco desconfiado após a queda em 2016.

Parabéns, Sampaio Corrêa!